Câncer Bucal

Flávio Monteiro, Cirurgião-Dentista

Especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial

O câncer é uma enfermidade vital que ataca o processo vital básico da célula, causando um crescimento desordenado destas células. No Brasil, dentre as mortes causadas por doenças, as Neoplasias são consideradas como sendo a segunda maior causa, perdendo apenas para doenças do aparelho circulatório. Aproximadamente 7% dos cânceres são bucais, sendo que o Carcinoma Espino-Celular corresponde a aproximadamente 95% destes.

Ocorre com mais frequência em tabagistas crônicos, alcoólatras, pessoas com mais de 40 anos, má higiene bucal, próteses mau adaptadas, desnutridos ou imunodeprimidos. A exposição solar está mais relacionada com o câncer de lábio.

Lesões Cancerinizáveis (Precursoras)

Suspeitar do câncer em um estágio mais avançado é extremamente fácil. Para que possamos diagnosticar o mais precocemente possível a lesão é de extrema importância o constante auto-exame na cavidade oral.

Lesões cancerinizáveis são aquelas alterações na cavidade bucal que podem assumir o caráter de tumor maligno a qualquer momento. Dentre estas, as mais comuns são:

  • Leucoplasia: São manchas ou placas brancas, indolores e que não são facilmente removidas com uma raspagem. Cerca de 10% destas leucolasias se transformam em carcinoma espino-celular.
  • Eritroplasia: São manchas vermelhas brilhantes, indolores e que também não são removidas por raspagem. Não são muito frequentes, mas apresentam alto grau de malignização.
  • Queilose Actínica: É a principal causadora de câncer de lábio inferior. Resulta da exposição excessiva ao sol e a outros agentes físicos e químicos. É comum ocorrer em homens de pele clara.

Auto-Exame

Uma das mais importantes estratégias para obter-se o diagnóstico precoce do câncer de boca é o auto-exame. Este deve ser realizado em um ambiente bem iluminado e com um espelho. A finalidade deste exame é identificar anormalidades existentes na mucosa bucal que alertem o indivíduo e o façam o dentista ou seu médico.

Devemos estar atentos para as mudanças na cor da pele e da mucosa bucal, endurecimentos, caroços, feridas que não cicatrizam por mais de 14 dias, áreas dormentes ou dolorosas, dentes quebrados ou com mobilidade, sangramentos e com as próteses mau adaptadas.

FIQUE ATENTO, O MELHOR TRATAMENTO PARA O CÂNCER BUCAL É O DIAGNÓSTICO PRECOCE. QUALQUER DÚVIDA, PROCURE SEU CIRURGIÃO-DENTISTA OU SEU MÉDICO PARA MAIORES INFORMAÇÕES.

Exemplos de pacientes com câncer bucal:

2 1

Fonte: INCA (Instituto Nacional do Câncer)
NEVILLE, B e cols. Patologia Oral & Maxilofacial, Ed. Guanabara& Koogan, Rio de Janeiro, 1998, 703p.
 
Comentários

Nenhum comentário ainda.